Página Inicial Obesidade Obesidade Infantil Actividade Física Programas Estudos e Artigos Calculadoras Eventos Links Uteís

 

Definição

Benefícios

A. F. Recomendada

Prescrição da A.F.

 

 

Definição de Actividade Física

A actividade física é consensualmente definida como todo e qualquer movimento corporal produzido pela contracção músculo-esquelético resultando num gasto energético. Já o conceito de exercício físico definido por Caspersen e col, (1985), é mais especificamente, uma actividade repetida e estruturada que visa a obtenção dum objectivo concreto tendo em vista a manutenção ou melhoria da aptidão física.

De acordo com Bouchard e Shephard (1994), a actividade física é claramente a componente mais variável de todos os factores que influenciam o gasto energético diário. A ausência de actividade física origina uma maior acumulação energética, podendo ser um factor para o desenvolvimento da obesidade (Mota, 2002).

Hoje sabe-se que a actividade física, nas suas respectivas vertentes, como a utilitária (andar, subir e descer escadas, jardinagem), a educação física e o desporto, executados de uma forma moderada, é favorável à manutenção da saúde e ajuda também na prevenção das doenças (Nunes, 1999). Não obstante esta evidência, bem como a aceitação aparentemente generalizada da importância da actividade física, milhões de pessoas optam por um estilo de vida sedentário.

As actividades de lazer, tais como, ver televisão, jogar videojogos e navegar na Internet parecem ser as principais responsáveis pelo aumento do sedentarismo de crianças e adolescentes (McCann, 2005). Outros estudos demonstram que ver televisão é a actividade de lazer em que as crianças gastam mais tempo (Comittee on Nutrition, 2003).

Segundo a Organização Mundial de Sde, estima-se que nos países desenvolvidos mais de dois milhões de mortes são atribuíveis ao sedentarismo, e que 60% a 80% da população mundial não é suficientemente activa para obter benefícios na saúde (OMS, 2002). Este cenário revela-se propício ao desenvolvimento de problemas graves para a saúde.

Segundo a British Medical Association (2005) a prática de actividade física, em todas as idades, é essencial para uma boa saúde, sendo indispensável para o controlo do peso e do balanço energético. Esta prática, durante a infância, apresenta uma série de benefícios, possibilitando um crescimento saudável, bem-estar psicológico e diminuição de alguns factores de risco, tais como a hipertensão, o colesterol elevado (British Medical Association, 2005) e obesidade (Clark e col., 1988).

Numa análise geral de tudo o que foi referido anteriormente, podemos concluir que o dia-a-dia de muitos adolescentes tem vindo a ceder cada vez mais espaço ao sedentarismo (Carmo, 1999).

Nesta perspectiva a actividade física assume-se como um factor de prevenção de uma série de doenças associadas à inactividade física. A infância e a juventude são consideradas idades fundamentais para a promoção de hábitos de actividade física que perdurem para toda a vida. De facto, a promoção da actividade física na infância e juventude baseia-se, em parte, no pressuposto de que os hábitos de actividade física se desenvolvem durante estes períodos e se mantêm até à idade adulta (Lopes e Maia, 2004).

A constatação da prevalência de indivíduos com sobrepeso e obesidade fornece dados que realçam a importância de programas de educação para a saúde que integrem a prática orientada de actividade física e a instalação de hábitos alimentares saudáveis, como medidas preventivas.

Fonte: American College of Sports Medicine; American Heart Association; British Medical Association, Themudo e col., (1997); WHO.

Autora: Carla Marisa Maia Moreira (2007) : (Email: carla_m_moreira@sapo.pt)

VOLTAR  AO TOPO

 

info@obesidade.info