Página Inicial Obesidade Obesidade Infantil Actividade Física Programas Estudos e Artigos Calculadoras Eventos Links Uteís

 

Definição

Prevalência

Causas

Consequências

Métodos de diagnóstico

Somatotipologia

 

 

Definição de Obesidade

No decorrer da história, a obesidade foi vista de diferentes formas. Em algumas civilizações na Antiguidade ser gordo era considerado sinal de sucesso. Em outras, como no Japão medieval era considerado um deslize moral cometido pelo indivíduo. Na Europa, o estigma da obesidade era fundamentado pela Igreja Católica no pecado capital da gula.

Assim, de diferentes formas, a obesidade foi estigmatizada pela sociedade, sendo que, na actualidade, existe uma tendência maior ao preconceito, excepto em algumas regiões, como na África, em que a obesidade nos homens é sinal de domínio e poder e nas mulheres é sinal de maior fertilidade. Todavia, com os avanços nas pesquisas ocorridos nas últimas décadas, descobriu-se que a obesidade é uma doença multifatorial, não estando vinculada, portanto, a um único aspecto individual. 

A obesidade é caracterizada pela acumulação excessiva de gordura corporal com potencial prejuízo à saúde, decorrente de vários factores sejam esses genéticos ou ambientais, como padrões dietéticos e de actividade física ou ainda factores individuais de susceptibilidade biológica, entre muitos outros, que interagem na etiologia da patologia (OMS, 1997). Mais recentemente e adoptando uma definição mais curta a Organização Mundial de Saúde (OMS, 2002) define obesidade como um excesso de gordura corporal acumulada no tecido adiposo, com implicações para a saúde.

A Obesidade é uma condição complexa de dimensões sociais, biológicas e psicossociais consideráveis, podendo eventualmente afectar qualquer pessoa de qualquer idade ou grupo socioeconómico, em qualquer parte do mundo .

Nesta realidade, a Obesidade é, hoje, considerada uma epidemia. A epidemia do séc. XXI. Os números não deixam espaço para grandes dúvidas. Em 2005, as estimativas mundiais, da OMS, indicavam que cerca de 150 milhões de adultos europeus sejam obesos em 2010.

A Obesidade é já encarada como a maior desordem nutricional nos países ocidentais, a OMS declarou-a como o maior problema não reconhecido de saúde pública que a sociedade, dos nossos dias, enfrenta. Mas esta epidemia não afecta apenas os países desenvolvidos, nos países em vias de desenvolvimento tem-se registado um crescimento significativo de pessoas com excesso de peso e obesas.

Definição com base na quantidade de Massa Gorda (MG)

Os termos excesso de peso e excesso de gordura (massa gorda) são diferentes.

Nos adultos considera-se existir obesidade quando a MG ultrapassa os 20% da massa corporal, nos homens, e 30% nas mulheres (Wilmore e Costil, 1994). No que diz respeito aos jovens, os do sexo masculino são considerados obesos quando a MG ultrapassa os 20% e os do sexo feminino quando a MG atinge os 30% (Dwyer e Blizzard, 1996).

A MG aumenta com a idade. No sexo feminino torna-se maior após a puberdade.

A MG quer se trate da população em geral ou de desportistas, nunca deve ser inferior a 9% nas mulheres e a 5 % nos homens (Barata e col., 1997).

Fonte: Garganta, (2003); Organização Mundial de Saúde, Themudo e col., (1997).

Autora: Carla Marisa Maia Moreira (2007) : (Email: carla_m_moreira@sapo.pt)

VOLTAR  AO TOPO

 

info@obesidade.info